Planejamento do plantio

Para plantar uma árvore em frente à sua casa, praças ou em outros lugares, é necessário a avaliação do local, o que possibilita um planejamento adequado de atividades.

Para tal, deve-se inicialmente avaliar as condições do lugar escolhido, sendo  importante verificar a largura da calçada, presença de fiações, proximidade de postes, placas de sinalização, distância de esquinas, aceitação dos moradores locais e afins – sempre lembrando que algumas espécies podem chegar a 50 metros de altura ou mais.

Assim sendo, a escolha da espécie depende diretamente das condições do local em que se deseja plantá-la. Árvores de grande porte são ideais para plantá-las em praças, calçadas largas (mais de dois metros de largura) e sem fiação; dê preferência  para espécies nativas. Para a região de São Paulo podemos indicar o Jatobá (Hymenaea courbaril), Cabreúva (Myrocarpus frondosus), Pau Cigarra (Senna multijuga), Ipês, Cedro (Cedrela odorata) e Angicos. Para espécies com caule muito espesso, o melhor lugar para plantá-las são as praças, pois devido a falta de espaço, na maioria das vezes danificam as calçadas.

Fique atento também no plantio de espécies que produzem frutos pesados e grandes, como a Sapucaia (Lecythis pisonis) e o Abricó-de-Macaco (Couroupita guianensis), pois a queda deles pode provocar acidentes; caso queira plantá-las, dê preferência aos locais abertos, como nas praças.

Além da escolha da espécie, é indispensável para o sucesso do plantio o uso de mudas com boa qualidade. Recomenda-se que a muda apresente sistema radicular bem desenvolvido, ausência de doenças, bom aspecto nutricional (folhas bem verdes, ausência de queimaduras, etc), altura igual ou superior a 1,8 metros parte aérea bem formada e caule retilíneo.

Planeje o plantio para a época das chuvas. É muito freqüente o plantio de mudas em épocas secas e consequentemente a elevada perda das mudas. Aplicando-se esta prática é possível diminuir os gastos com o replantio das mudas que morreram e certa economia, pela não necessidade de molhar as mudas. Caso seja possível irrigá-las periodicamente, o plantio não necessariamente precisa ser feito na época das chuvas, porém aumentam-se os gastos.

Paineira-rosa (Ceiba speciosa). Espécie nativa e de floração belíssima. Indicada para ser plantada em praças. Foto tirada na ESALQ-USP.

Pau brasil (Caesalpinia echinata). O plantio desta espécie é importante para que as pessoas conheçam a sua participação na história brasileira Além disso, sua floração amarela é muito bela, e sua densa copa pode ameniza as temperaturas extremas nos centros urbanos. Foto tirada na ESALQ-USP.

Copaíba (Copaifera langsdorffii). Foto tirada na ESALQ-USP.

Casca avermelhada da Copaíba (Copaifera langsdorffii). Foto tirada na ESALQ-USP.

Em locais onde exista fiação elétrica e a calçada seja estreita (menor que dois metros), pode-se plantar espécies frutíferas de pequeno e médio porte, como Pitangueira (Eugenia uniflora), Acerola (Malpighia emarginata), Uvaia (Eugenia uvalha), Cabeludinha (Eugenia tomentosa), Amora (Morus nigra), Goiaba (Psidium guajava), Araças, Jabuticaba (Myrciaria cauliflora)…

Araça- espécie frutífera nativa. Uma boa opção para ser plantada nas cidades. Foto tirada em Piracicaba-SP.

Pitangueira (Eugenia uniflora). Espécie frutífera nativa de pequeno porte que pode ser plantada em locais onde a fiação elétrica esteja presente. Além disso, produzem um saboroso fruto apreciado pela fauna e pelas pessoas. Foto tirada em Piracicaba-SP.

No momento do plantio e preparo do berço (utilizo berço, pois covas são para os mortos) é importante verificar no solo a presença de encanamentos, restos de construção e etc. Muitas vezes o solo das áreas urbanas encontra-se compactado e com restos de entulho, para isso, recomenda-se fazer um berço de 60x60x60 e retirar os entulhos, quando presentes. Tal prática auxiliará no aumento da oxigenação do solo e consequentemente em um melhor desenvolvimento das raízes.

Para melhorar as propriedades físicas e químicas do solo, incorpore no berço cerca de 50% de matéria orgânica, isso ajudará na nutrição da muda e no seu desenvolvimento radicular.

No momento do planejamento do canteiro que irá receber a muda, lembre-se de que ela crescerá em diâmetro, para isso, recomenda-se a elaboração de um canteiro de 90x90x90 cm (tal medida pode variar de acordo com a espécie escolhida), assim, evita-se o estrangulamento na base do caule.

Plantio mal planejado. Trata-se de um Dedaleiro (Lafoensia pacari), onde não foi deixado um espaço adequado para o desenvolvimento de seu caule. Tal descuido afeta diretamente a sanidade da planta. Foto tirada em Itapetininga-SP.

Neste plantio observamos que foi deixado um espaço adequado para o desenvolvimento das duas árvores. Tal prática deve ser sempre realizada, assim evita-se o estrangulamento do caule. Foto tirada em Itapetininga-SP.

Para evitar o tombamento da muda após o plantio, é necessário a utilização de um tutor, e este deve ser amarrado com um elástico no formato de um oito deitado, para evitar o anelamento da muda.

Muda de Quaresmeira (Tibouchina granulosa). Esta muda foi plantada corretamente. Foi deixado espaço para desenvolvimento do caule e está acompanhada de um tutor. No entanto, ela deveria apresentar altura e a primeira bifurcação igual ou superior a 1,8 metros, desse modo não atrapalharia a passagem dos pedrestres. Foto tirada em Piracicaba-SP.

Maneira adequada para amarra o tutor a muda. Foto tirada em Piracicaba-SP.

Muda adequadamente tutorada. Neste caso, a muda foi plantada apresentando altura e a primeira bifurcação superior a 1,8 metros, como é o recomendado. Foto tirada em Piracicaba-SP.

Somando-se a todos esses itens à conversa amigável com a população residente no entorno da área plantada (pois serão eles que mais conviverão com as futuras árvores, por isso a importância da aceitação e criação de um vínculo deles com as mudas), as chances de sucesso do plantio são grandes.

Felipe Furtado Frigieri

Anúncios

Sobre Felipe Furtado Frigieri

Engenheiro florestal graduado pela ESALQ-USP. Interessado em discutir temas relacionados a arborização urbana, restauração florestal de ambientes degradados, horta urbana, reciclagem, criação de abelhas nativas, entre outros.
Galeria | Esse post foi publicado em Arborização urbana. Bookmark o link permanente.

10 respostas para Planejamento do plantio

  1. Pedro Paulo disse:

    Belo texto informativo, liguagem clara e simples, mas algumas daquelas fotos não vão contra o que o texto diz? aquela quaresmeira por exemplo, bifurcou muito baixa, não respeitando os 1,80m. Atentar a estes detalhes. Boa sorte, continuarei visitando!

    Curtir

  2. glaucilene vitor lopes disse:

    OLÁ,BOM DIA,EU VI O SITE E GOSTARIA QUE ME AJUDASSE COM SUAS EXPERIENCIAS,MEU VISINHO TEM UM PÉ DE UVALHA,QUE FICA DO LADO DO MURO DE CASA,O CHAO E A CASA ESTÁ COMEÇANDO COM RACHADURAS,O MURO ESTÁ EMPENANDO,FORA A SUGEIRA QUE DEIXA O MEU QUINTAL,O VIZINHO NAO QUER CORTAR A ARVORE,O PROCESSO JÁ TA NA JUSTIÇA,MAS GOSTARIA DE SABER MAIS SOBRE ESSA PLANTA,SE PODE SER PLANTADA EM HORTA,A QUE DISTANCIA,SE A RAIZ É GRANDE,SERÁ QUE TENHO ALGUMA CHANCE QUANTO A ISSO.
    AGUARDO SUA RESPOSTA….ABRAÇOS………

    Curtir

    • Olá. Bom dia.
      Olha, eu conheço uma espécie que tem o nome popular de Uvaia. É uma planta frutífera (frutos carnosos amarelos), porte arbóreo e que tem altura de aprox. 5-7 metros. Trata-se de uma planta nativa do nosso território e seus frutos são apreciados pela fauna e além disso produzem um suco e sorvetes muito saborosos.
      Com relação ao plantio em quintal, eu acho que se houver um espaço livre de terra e não haja empedimentos como telhados, fios a planta pode ser árvore pode ser plantada sem problemas.
      O que pode ter acontecido neste caso é que a árvore foi plantada muito próxima do muro e assim provocar as rachaduras. Com relação ao corte de árvores por motivos de ela estar derrubando folhas e frutos eu sou totalmente contra, basta fazermos limpezas em nossas calhas com frequencia. As árvores fornecem para nós muitos serviços, como sombra, frutos, beleza, ar de qualidade. Uma árvore deve ser cortada apenas quando apresente risco de queda (quando as árvores encontram-se podre, com cupins, etc.).
      Talvez neste caso a melhor coisa a ser feita seria algumas podas e arrumas as trincas. Em último caso o corte da árvore.

      Abraços

      Curtir

  3. robson disse:

    olá, primeiramente parabéns pelo teu trabalho. Eu desenvolvo um projeto bem pequeno para arborização urbana aqui em minha cidade, já plantei diversas árvores porém o que mais dificulta o sucesso das mesmas é o vandalismo. Nunca vou conseguir entender por que uma pessoa quebra propositalmente uma muda plantada, quebra galhos, danifica seu tronco entre outras coisas, afinal se não fosse isso praticamente todas mudas plantadas poderiam se transformar em belas árvores. E como tu disse, é essencial o diálogo com os donos das casas, já que muitos não querem a presença de árvores em “suas” calçadas e assim nem adianta insistir no plantio.
    Realmente são muitos os desafios encontrados por mim, mas o que supera todos são algumas pessoas que insistem em não querer árvores por perto. E ali esta uma coisa que nunca vou entender, pois dentre todos benefícios que as árvores trazem, um merece destaque: o embelezamento da cidade que muitas pessoas não enxergão e provavelmente por isso possuem tal posição sobre o assunto.
    E esse foi meu desabafo, onde ainda quero entender o motivo de muitas pessoas não quererem árvores por perto. Afinal elas são demais, eu gosto muito de passar meu tempo em longas caminhadas pelas poucas matas existentes ou então só passar um tempo analisando uma árvore qualquer.

    Curtir

    • Oi Robson,

      realmente é lamentável que isso aconteça. Já passei e continuamente passo por situações parecidas. De fato tem pessoas que não gostam de árvores, talvez seja por que elas ainda não compreenderam os benefícios e a beleza das árvores.

      Mas vamos continuar nessa batalha!

      Muito obrigado e um abraço.

      Curtir

  4. TÂNIA MASSON disse:

    Bom dia Felipe!
    Estou pesquisando na internet para saber que tipo de árvores posso plantar no meu quintal. Sendo que meu quintal é cimentado e só tenho espaço para plantio próximo aos muros (cerca de + ou – 1 metro), por isso preciso de árvores de pequeno porte e que dê sombra, pois quero arrumar minhas orquídeas no muro aproveitando a sombra das árvores.
    Se você pudesse me aconselhar a este respeito fico grata.

    Parabéns pelo site. Muito bom!!!

    Curtir

  5. marcia rocha disse:

    Parabéns! Adorei os comentários , muito sugestivo.
    Tenho pouco espaço de terra em meu quintal e próximo meio metro do muro, pois todo o quintal é cimentado. Mas como adoro plantas gostaria de saber que árvore frutífera e de flores poderia plantar.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s