Plantio de maracujá orgânico na cidade

Há cerca de dois anos, plantei 4 pés de maracujá-azedo no meu quintal. O maracujazeiro levou cerca de 7 meses pra começar a produzir, este ano (2013) é a segunda vez que ele produz.

lllll

Parte de uma colheita de maracujá-azedo.

A última produção foi bem maior que a segunda e também o maracujazeiro se desenvolveu mais, chegou a se espalhar até pelo telhado da minha casa, formando um verdadeiro telhado verde.

Maracujá formando o telhado verde.

Maracujá formando uma cobertura verde no telhado.

O maracujá-azedo pode ser utilizado como trepadeira ornamental, ele apresenta uma folha bonita e uma belíssima flor perfumada, além de tudo isso produz frutos comestíveis.

O maracujá-azedo pode ser utilizado como trepadeira ornamental, ele apresenta uma folha bonita e uma belíssima flor perfumada, além de tudo isso produz frutos comestíveis.

Para ter uma noção da produtividade dos maracujazeiros, comecei a contar quantos frutos ele produziu. Separei os frutos em 3 tamanhos diferentes: pequeno, médio e grande. Até a presente data (22 de janeiro de 2013) contabilizei 28 frutos pequenos, 44 médios e 52 grandes, totalizando 124 frutos. Como a produção ainda não cessou, acredito que chegue a aproximadamente 200 frutos.

Fruto pequeno, médio e grande.

Fruto pequeno, médio e grande.

Para atingir esta produção não utilizei adubo mineral solúvel (N-P-K) e nenhum tipo de inseticida, apenas apliquei adubo orgânico proveniente da minha compostagem doméstica.

Dessa forma, não gastei com a compra de adubo mineral e inseticidas; não precisei fazer a polinização manualmente, pois as mamangavas se encarregaram desse serviço. Além de tudo, produzi um alimento “orgânico” e não causei desequilíbrios ambientais.

A abelha mamangava polinizando a flor do maracujazeiro.

A abelha mamangava polinizando a flor do maracujazeiro.

Mesmo não utilizando inseticida, não tive problemas sérios por conta de insetos. Percebi que dois insetos diferentes gostam de atacar o maracujazeiro. O primeiro é uma larva de borboleta que se alimenta das folhas do maracujá e o segundo é um percevejo, que quando pequeno suja a seiva das folhas e adulto ataca os frutos. O único controle que fiz foi no início do plantio, onde realizei a catação das lagartas, depois disso tudo se normalizou,  as lagartas e os percevejos não desapareceram, mas  população deles se mantiveram constantes e não atrapalharam a produtividade.

Caso o agricultor opte pelo uso de inseticidas para controlar os insetos indesejados, ele deve estar ciente que fazendo isso poderá afastar ou até mesmo provocar a morte das mamangavas, e como esses insetos são fundamentais para a produção dos frutos, isso poderá lhe trazer sérios danos econômicos. Além dos desequilíbrios ambientais, como: contaminação do solo, água, ar, fruto e até mesmo se intoxicar durante a aplicação.

Para ter ideia da importância que as mamangavas tem na produção do maracujá, foi realizado um estudo por Pereira Vieira et al. (2010), que quantificou o valor do serviço (polinização) realizado por essas abelhas. Eles chegaram a uma quantia de 14.686,02 reais (em valores de 2007), relativo a três anos de produção de maracujá numa área de 1 hectare – o estudo considerou 2 trabalhadores para o primeiro ano e três trabalhadores para o segundo e terceiro ano.

Infelizmente, hoje o Brasil carrega o título, desde 2008, de maior consumidor de agrotóxico do mundo, no ano de 2011 a comercialização desses produtos movimentou o US$ 8,5 bilhões.

Talvez se diversificássemos mais a nossa agricultura e utilizássemos  mais as técnicas agroecológicas (adubação orgânica, rotação de cultura, preservação das florestas, policultura) esse consumo exagerado de venenos diminuiria.

A experiência que tive com a minha singela produção de maracujá orgânico em área urbana, é que é possível produzir alimento saudável num pequeno espaço, basta apenas interferir positivamente nas relações da natureza, tornando-a mais harmônica e grandiosa.

Felipe Furtado Frigieri

Bibliografia

Vieira, P. F. S. P. ; Cruz, D. O. ; Gomes, M. F. M. ; Campos, L. A.  O. ; Lima, J.E. -(Universidade Federal de Viçosa, Brasil). Valor econômico da polinização por abelhas mamangavas no cultivo do maracujá-amarelo. Revista Iberoamericana de Economía Ecológica Vol. 15: 43-53.

Anúncios

Sobre Felipe Furtado Frigieri

Engenheiro florestal graduado pela ESALQ-USP. Interessado em discutir temas relacionados a arborização urbana, restauração florestal de ambientes degradados, horta urbana, reciclagem, criação de abelhas nativas, entre outros.
Esse post foi publicado em Agricultura urbana. Bookmark o link permanente.

15 respostas para Plantio de maracujá orgânico na cidade

  1. Indra Ferla disse:

    Gostaria de saber se usou muda ou sementes, se de algum maracujá específico ou do que compramos na feira mesmo. Tenho receio desses transgênicos….

    Curtir

  2. Lucilene disse:

    Gostei dessa pg, eu inventei de criar maracuja no jardim e deixei ele cresce sobre a laje da casa, mas ele está indo pra cima do telhado do segundo andar,estou amarrando para conduzi-lo numa altura que eu possa pegar os frutos…

    Curtir

  3. Denise disse:

    Parabéns pela matéria! Eu tenho um pequeno jardim e tudo o que lí aqui me ajudou demais a cuidar melhor das minhas plantas, já que também não uso nenhum tipo de agrotóxico e meu primeiro pé de maracujá está com alguns primeiros frutos. Obrigada!!!

    Curtir

  4. Jean Baptista disse:

    Mto legal seu trabalho, só gostaria de saber se o maracujá não detonou o telhado, e se existe uma especie,de preferência doce (será o maracujá azedo realmente azedo?) que possamos plantar e permitir que tome conta do telhado. Abçs

    Curtir

  5. Maria Helena Costa disse:

    tenho um lindo pé de maracujá no quintal que nasceu de alguma semente que caiu fiz uma parreira deu muitas flores mas não da frutos ele esta enorme e muito lindo e com muitos botões todo os dias cedo a tem um bixinho nas flores

    Curtir

  6. Sandra Santos disse:

    Amei!!! Minha visita nesta página foi recente, pois não conhecia. Tenho um terreno grande na cidade de Tapes-RS, mas não entendo de plantação; só sei que lá existe 12 árvores nativas, e a terra é muito fértil. Já estou arrumando o terreno para plantar, verduras, etc… Ficarei muito agradecida se, me enviarem respostas, de como posso começar. Desde já AGRADEÇO. Sandra Santos

    Curtir

  7. Olá Felipe, estou pensando em iniciar uma horta orgânica no quintal de minha casa, e além de verduras e ervas quero plantar algumas frutas, já tenho um abacateiro, uma goiabeira, um pequeno pé de jabuticaba, um pé de figo e gostaria de plantar maracujá. Gostei muito da sua postagem. Grata
    Sueli

    Curtir

  8. Eu gostaria de saber que você teve um problema com o telhado? Humidades? Filtracion? se apodrece La Teja?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s